4 de jun de 2016

Precisamos muito falar sobre magia!

Magia, também conhecida por outras palavras, como feitiçaria e mandinga, é nada mais, nada menos do que manipulação energética em proveito de um fim

Explicando de outro modo: utilização de um ritual específico para manipular as energias disponíveis na natureza. Magia é ciência. Uma ciência que a ciência humana ainda não compreende e, portanto, mistificada. Ela obedece a preceitos universais e até mesmo quantitativos.

Dizemos que a magia serve para se obter um fim. Que fins? E que métodos são utilizados para isso?

Eis a questão de ouro. Você pode ser ignorante ou avesso à magia, contudo, saiba que milhões de pessoas ao redor do mundo não são. Pelo contrário, utilizam-na das formas mais grosseiras e degradantes para conseguirem materializar seus interesses mesquinhos e egoísticos. 

Ao longo de milênios, a humanidade veio gradativamente pervertendo a utilização da magia. Não é de agora! Faz realmente muitíssimo tempo. Falhamos e falhamos de forma hercúlea. Rituais macabros e sofisticados abastecem o astral inferior, alimentando multidões de espíritos inferiores, comandados por inteligências avançadas - mas renitentes no mal.

Se não fosse a insistência do homem na utilização negativa da magia, o astral inferior não teria tanta força. Se a tem, é por culpa nossa. Permitimos e patrocinamos tais trocas energéticas - elas vão das mais antigas, como o oferecimento de sangue de animais e pessoas, a outras, avançadas inclusive para nossa ciência, como a manipulação do corpo etérico. Neste último caso, fica claro que magia é ciência.

Você pode ter percebido que há um outro lado. Falamos em magia negativa. Há magia positiva? Existe magia positiva: manipulação das energias da natureza sem desrespeitar nenhuma lei divina e tampouco o livre-arbítrio de alguém. Quando a dupla médium-guia manipula ervas para a cura de um doente que buscou essa ajuda, estamos tratando de um ritual de magia positiva. 

Algum espírita pode dizer que isso não é magia, é a mera aplicação do fluido da planta. Pois bem! Magia é justamente isso, como já vimos: energias da natureza sendo manipuladas ordenadamente (ritual). Magia não é milagre e não é sobrenatural. Segue as regras da natureza, regras químicas, físicas e biológicas. Por isso mesmo afirmei que é ciência. Algumas vezes, regras consolidadas pelo popular e totalmente irracionais para nossa mentalidade. 

Exemplificando e resumindo:

Pessoas materialistas, pessoas que vão à igreja, pessoas que dizem praticar a Umbanda e até o Espiritismo: muitas destas procuram ''pais de santo'', ''magos'', que, mediante a valores previamente combinados, recebem o encargo de realizar um ''trabalho''. 

O ''trabalho'' varia ao infinito. Pede-se de tudo. Separar casal. Unir casal. Emprego. Tirar do caminho um adversário. A morte de alguém... Tudo isso se pede aos ditos ''pais de santo'' e ''magos''. Bem remunerados, eles fazem. Dependendo de quem é a vítima, se há brecha cármica, os resultados são alcançados. Outras vezes, os resultados são nulos - os resultados também variam ao infinito.

E sobre quem mandou fazer isso? A pessoa que faz e/ou manda fazer um ritual de magia para atingir alguém está marcando em seu carma um processo que precisará ser recuperado. É a lei da Ação e Reação. Não há como escapar.

Desde os mais inocentes ''abafamentos'' e ''adoçamentos'', aos macabros e sanguinolentos rituais para se tirar a vida de ''inimigos'', nenhum ritual de magia que desrespeite as Leis Divinas será inocentado pela consciência de seu praticante (e/ou mandante).

Magia é coisa séria. Magia não é brincadeira e não deve ser utilizada para você melhorar sua vida como uma moeda de troca. Nenhum trabalho de magia vai dar a você dinheiro, emprego ou saúde. Pode, pelo merecimento, ajudá-lo a conquistar isso, contudo, somente se houver o merecimento e o seu interesse real (no caso dos praticantes de religiões que trabalham com a magia, como a Umbanda, por exemplo. Vale ressaltar que a magia utilizada pela Umbanda não desrespeita as Leis Divinas). Trabalhos do astral inferior são ilusórios e temporários. Os espíritos que ''trabalham'', recebendo esses rituais não têm potência para dar nada a você.

Não busque na magia as respostas e as soluções de sua vida. Não busque o amor na magia. Não busque manipular quem quer que seja utilizando magia - mesmo se os motivos parecerem nobres a você. Não. Não é motivo para você se valer de rituais mágicos, como o famoso adoçamento.

Existem Leis. As Leis Divinas (Leis Naturais). As mesmas Leis que mantêm a magia. Essas leis não são quebradas ou enganadas. Se você fez, você recebe. Como diz o ditado popular, ''aqui se faz, aqui se paga''. Isso vale integralmente para a magia.

Cuidado. O barato costuma sair caro e as ilusões deste mundo são tentadoras, mas levam todas a mesma porta - à porta do abismo. Só há uma saída, a luz da consciência. 

Magia sem consciência e em desalinho com as Leis do Criador não vale a pena. Mais vale não entendê-la e não praticá-la. Você não precisa de magia se não puder compreendê-la.
______________________________________________________________________

OBSERVAÇÃO:

Escrever sobre magia não é uma tarefa simples, pois é há algo que merece um livro e não um mero texto de poucas linhas. Por isso, é claro que precisei condensar e resumir ao máximo. Peço desculpas por possíveis falhas ou omissões. Em outra oportunidade, tentarei falar sobre os símbolos (indissociáveis da magia).

Nenhum comentário:

Postar um comentário